terça-feira, 15 de agosto de 2017

"Eu e minha casa serviremos ao Senhor" (Js 24,9c)

Santa Missa na Igreja de São Sebastião marca a abertura da semana nacional de oração pelas famílias
No dia em que o calendário civil dedica a data aos  pais, a Igreja recorda e celebra a vocação paternal tão cheia de responsabilidades, rica em frutos e digna de gratidão. Para marcar esse dia, a Paróquia/Santuário de Nossa Senhora de Nazaré realizou às 19h no domingo (13) na Igreja de São Sebastião a Santa Missa pelas famílias. 
A celebração contou com a participação de famílias da paróquia que trazem consigo exemplos de perseverança de união e de amor. Representando todas as famílias, pais e mães, filhos, netos, marido e mulher se uniram em oração e fizeram da Santa Missa um momento emocionante e cativante. 

Pelas famílias é que as leituras foram proclamadas e as mesmas apresentaram ao altar as ofertas do pão e do vinho e do vínculo da união representada pela aliança que é como o amor sacramentado e verdadeiro; não tem fim. 

Umas extensas, outras menores, há aquelas de sangue, e outras que a vida ligou pelo coração, mas todas famílias. Definir família é trabalhar o significado do amor. Amar é fazer a comida preferida dos filhos sem que se goste dela e dar um beijo na testa mesmo depois de ouvir um não.
Que em meio a esse mundo tão relativo, o valor da bênção pedida aos pais nunca se perca e que as reuniões em volta da mesa sejam pra sorrir ao invés de se perder nos teclados e nos emoticons de um celular. 
E que todos, inspirados pelo Padre Zezinho não vão dormir sem pedir ou sem dar o perdão. Que o bom José, a linda Maria e o Senhor Jesus ajudem a cada um a amar e sentir amor naqueles que caminham ao lado.

Participações na Santa Missa: Maria Goddi e família, Marina Antunes França e Família, Natália Ester e Gabriel Santiago, Ângela Lourdes e Paulo César, Efigênia Freitas e Antônio Silva, Francisca Stela de Carvalho e família, Robson Teixeira e família, Flávia Cândido e família, Geraldo de Paula e família, Dona Eva e Seu Geraldo, Donizete Reis e família. 

Matéria e fotos: Rodrigo Augusto






terça-feira, 8 de agosto de 2017

Nossa Senhora de Nazaré inicia visitas à comunidade

Convite e preparação para o 153º Jubileu de Nossa Senhora de Nazaré


O mês de agosto apresenta-se como período de convite e preparação para o Jubileu de Nossa Senhora de Nazaré. Assim, a Imagem da Mãe Redentora irá percorrer várias localidades do município, que vão desde os espaços públicos até aqueles mais íntimos e interiores no coração dos filhos e filhas de Deus. Tudo isso para que os fiéis estejam abertos a contemplar a Face, o Espírito e a Divindade da Mãe Intercessora, que sempre amparou em seu colo protetor a história de tantos irmãos e irmãs que fizeram e fazem parte da história de Nazareno.

Os dias já não passam mais no tempo dos homens, pois o Tempo do Senhor anuncia a chegada do 153º Jubileu de Nossa Senhora de Nazaré. Por isso, a Mãe de Nazaré iniciou no último sábado, 05, Suas visitas à comunidade. O Lar do Idoso foi o local abençoado pela maternidade acolhedora de Nossa Senhora, onde houve Santa Missa às 15h.
Repletos das experiências de vida acumuladas ao longo de uma vida inteira, senhores e senhoras vivenciaram um tipo de amor e alegria que os anos e a sabedoria não podem acessar. Todos tiveram sua fé renovada e o brilho nos olhos de cada um era o mesmo de curiosidade das crianças para com os mistérios de Deus. Os filhos de Nazareno que tanto contribuíram para o crescimento da fé católica nesta terra são agora embalados pela intercessão de Nossa Senhora de Nazaré. O colo da Mãe de Nazaré tornou-se o verdadeiro Lar dos Idosos!

Do mesmo modo, a comunidade de Coqueiros recebeu a Virgem de Nazaré, acompanhada pelos cidadãos e por Pe. Rondineli Cristino, que presidiu a celebração. Em sua caminhada pela Terra, a Mãe do Céu uniu e vai unir ainda mais irmãos e irmãs de lugares distintos para habitar o mesmo ambiente de oração, súplica, gratidão e misericórdia.

Matéria: Guilherme Augusto
Fotos: João Vitor

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Vocação, um chamado que vem da criação


A palavra vocação vem do latim vocatio, vocationis e significa chamamento, ato de chamar (vocare) ou escolher, que supõe disposição ou aptidão inerente para algum ofício.  Para uma autêntica função profissional, não basta o querer pessoal ou vontade de outrem, pois, o chamado de cada pessoa depende de sua aceitação livre e de uma análise através de estudos e orientações dos formadores para cada atividade ou profissão.  Assim, entendemos que vocação é chamado e envio para exercer um ofício.  Aliás, Deus Criador chama sempre a Sua criatura para realizar alguma atividade, pois, o ser ou existir supõe uma ação.Etimologicamente, a palavra vocação significa um chamado e uma resposta para realizar alguma ação, para a qual Deus Criador e Pai nos criou e enviou.
 São características da escolha, o chamado e o envio para uma missão, a gratuidade de Deus e a liberdade de escolha do homem e da mulher, para realizar com responsabilidade uma determinada vocação. Daí a necessidade de uma orientação vocacional dos pais e educadores, para uma autenticidade de cada vocação com suas próprias características.  Pois, não existe chamamento só por uma revelação mística ou por uma circunstância qualquer.Eis porque toda e qualquer vocação é um dom gratuito ou presente de Deus que nos criou e nos chamou para a vida em plenitude.
Vivemos nas gerações passadas e presentes, preparando as gerações futuras com um pouco do passado vivendo em nós.Sendo a vocação um dom gratuito, presente de Deus, chamado para uma missão, este chamado é um convite de Deus supõe e merece uma resposta livre do homem ou mulher, Sua imagem e semelhança. Muitas e variadas vocações existem no caminho da vida humana e cada vez mais se multiplicam as criativas invenções segundo as necessidades do elemento humano.  Por isso, muitos trabalham, pesquisam e estudam vocações que no início são apenas um sonho, uma inclinação ou atração curiosa para realizar alguma função.Depois de algum tempo de amadurecimento pela educação e formação, o vocacionado escolhe uma determinada vocação, atividade ou profissão para começar um processo de preparação específica.  Uma vez preparado e formado, o candidato se põe a caminho, respondendo o chamado de Deus no serviço ou missão escolhida, buscando sua plena realização vocacional.  Sem os devidos cuidados de preparação na escolha da profissão ou serviço, só traz prejuízos, decepções e infidelidades como costuma acontecer no magistério, na política, na arte, na administração, no direito, na medicina, no sacerdócio e na engenharia. Todas a vocações na vida de leigos ou de consagrados e ordenados, são formas de dizer “Sim” a Deus e a Seu povo a quem devemos servir, como os talentos recebidos.
Como presente ou dom, a vocação é também um serviço precioso que merece resposta positiva ou aceitação e envio com doação total de si mesmo.  É o que acontece em muitas vocações de disponibilidade plena para servir a Deus e aos semelhantes o dom total na missão. Aliás, toda e qualquer vocação é um misterioso dom de Deus, no qual não se ouve a Sua voz e nem se vê a Sua face, mas sente-se Seu chamado e Envio para um serviço leigo natural e espiritual ou para um serviço religioso e sobrenatural como sacerdócio nas três dimensões: Diaconal, Presbiteral e Episcopal.Pelo Batismo que nos insere numa comunidade eclesial, somos chamados à santidade ou perfeição, ouvindo Jesus dizer: “Sede perfeitos como nosso Pai do céu é perfeito!” Deus Criador e Pai, com Seu Filho Jesus e com o Espírito Santo, nos faz Comunidade do Seu povo, para testemunhar o Seu Reino de Verdade, de Justiça, de Amor e de Paz”.  Portanto todo e qualquer ser humano, é chamado e enviado por Ele para exercer uma função ou missão.
 Por isso é que biblicamente, a vocação é um chamado e um envio para determinada missão como se vê no profeta Isaías 6,8 “Ouvi a voz do Senhor que dizia:”  Quem hei de enviar? Quem irá por nós? Ao que respondi: Eis-me aqui, envia-me a mim.”  E nos Evangelhos, Jesus chama e envia dizendo:  “Vem e segue-me!”  Lac 18, 22 – “Ide e fazei discípulos meus” Mt 28, 19 – “Ide por todo o mundo , proclamai o evangelho a toda  criatura” Mc 16,15.Deus Uno e Trino, que nos chamastes e enviastes pelos caminhos da vida, dai-nos coragem e força espiritual para sermos fiéis e perseverantes nas tarefas para o bem do vosso povo, como verdadeiros discípulos e missionários sob a proteção de vossa e nossa Mãe Maria Santíssima.


Fonte:http://diocesedesaojoaodelrei.com.br/vocacao-um-chamado-que-vem-da-criacao/
Fotos- Arquivos da Pascom

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Refugium peccatorum, ora pro nobis

Nossa Senhora do Carmo é festejada na comunidade da Jaguara
A Igreja consagrou o dia 16 de Julho à memória de Nossa Senhora do Carmo, título atribuído à Virgem Maria após sua aparição no Monte Carmelo, local bíblico onde, por intermédio de Elias, Deus realizou suas manifestações e teofanias. Na Paróquia/Santuário Nossa Senhora de Nazaré, a Mãe do Carmo tem uma comunidade rural a dela dedicada, a Jaguara; e lá o domingo foi movimentado e a Rainha do Monte Carmelo festejada.
O dia 16, maior da festa, coroou o caminho percorrido por muitos fiéis durante a novena preparatória e os dias dedicados ao Sagrado Coração de Jesus e São Vicente de Paulo. A veneranda imagem de Nossa Senhora do Carmo saiu em procissão pelas ruas da comunidade e no adro da Igreja, a Santa Missa Campal finalizou a Festa da Padroeira do lugar.
Em sua iconografia, Nossa Senhora do Carmo traz um dos objetos de grande devoção do povo católico; o escapulário. A crença cristã e mariana reforça que o portador do escapulário terá constante intercessão de Maria para não padecer no purgatório, uma vez que a Senhora do Carmo é recorrida por seus filhos para livrar as almas que lá padecem. 
Durante as Missas do final de semana, no Santuário, a memória de Nossa Senhora do Carmo esteve presente na oração eucarística no momento próprio onde o convívio dos eleitos, apóstolos, mártires, santos e da Virgem Maria é pedido ao Deus Pai por meio das oferendas apresentadas ao altar. Também foi pela intercessão da senhora que a bênção final foi recorrida pelos fiéis.
Rogai por nós pecadores, agora e na hora da nossa morte. Amém!

Matéria: Rodrigo Augusto
Fotos: Arquivo da Pascom, Internet, Rafaela Santos e Victor Emanuel.

domingo, 16 de julho de 2017

E Deus viu que tudo que criou era bom

Santa Missa na Comunidade da Cachoeirinha é marcada pela contemplação da beleza da natureza e do clima harmônico da assembleia. 
Ao despertar do dia 15 de Julho, sábado, membros da Pastoral Ecológica e paroquianos da Paróquia do Santuário de Nossa Senhora de Nazaré se juntavam para uma celebração que marcaria um trabalho de contemplar e cultivar a criação. O dia fio reservava um grande momento nas margens do Rio Grande, ou melhor, na comunidade da Cachoeirinha que leva o nome do saudoso Padre José Casimiro.
Ás 9h deu-se início a celebração da Santa Missa no centro da comunidade rural da cidade de Nazareno que foi presidida pelo pároco Padre Rondineli e contou com a participação dos moradores da Cachoeirinha e dos membros da Pastoral Ecológica. 
A Pastoral Ecológica surgiu na paróquia visando a necessidade da conscientização da população para com o cuidado do meio ambiente, uma vez que a cidade de Nazareno passará a receber uma grande exploração dos solos em busca de minérios e tiras de ouro. Tal pastoral age tanto espiritual como socialmente para alcançar através de pequenos gestos a conversão ecológica dos nazarenenses para que assim, o homem se volte para valorizar os bens naturais cedidos por Deus.
O padroeiro da Pastoral é São Francisco de Assis que traz em seu testemunho de vida o zelo pela natureza. Sua imagem foi abençoada e venerada pelos presentes na Santa Missa. Em sua iconografia, São Francisco traz os animais e mostra sua auspiciosa convivência com eles. 
A celebração da Santa Missa foi toda voltada para a contemplação das belezas que rodeiam a criação de Deus. O barulho das águas do mar, o perfume das pantas e o brilho do sol permaneciam constantes e chamativos. A narração da criação do mundo, a homilia proferida pelo presidente da celebração e os cânticos contracenavam com todo ambiente.
No final da celebração, os presentes saíram em caminhada rumo a capelinha construída para homenagear a Virgem Maria no ano de 2003 onde a nova imagem de Nossa Senhora de Nazaré foi colocada após sua bênção durante a Santa Missa.
Uma trilha levou todos até as margens do Rio Grande e nas pedras todos puderam se assentar e ao som de belas canções e foram embalados pelos puros ares da comunidade.
Durante a trilha, foram recolhidos  os lixos que ficavam jogados pelos visitantes no meio do caminho, marcando por esse ato o cunho social do trabalho da pastoral ecológica. 
Cântico das Criaturas por São Francisco de Assis
Altíssimo, onipotente, bom Senhor,
Teus são o louvor, a glória, a honra
E toda a benção.
Só a ti, Altíssimo, são devidos;
E homem algum é digno
De te mencionar.
Louvado sejas, meu Senhor,
Com todas as tuas criaturas,
Especialmente o Senhor Irmão Sol,
Que clareia o dia
E com sua luz nos alumia.
E ele é belo e radiante
Com grande esplendor:
De ti, Altíssimo é a imagem.
Louvado sejas, meu Senhor,
Pela irmã Lua e as Estrelas,
Que no céu formaste claras
E preciosas e belas.
Louvado sejas, meu Senhor,
Pelo irmão Vento,
Pelo ar, ou nublado
Ou sereno, e todo o tempo
Pela qual às tuas criaturas dás sustento.
Louvado sejas, meu Senhor,
Pela irmã Água,
Que é mui útil e humilde
E preciosa e casta.
Louvado sejas, meu Senhor,
Pelo irmão Fogo
Pelo qual iluminas a noite
E ele é belo e jucundo
E vigoroso e forte.
Louvado sejas, meu Senhor,
Por nossa irmã a mãe Terra
Que nos sustenta e governa,
E produz frutos diversos
E coloridas flores e ervas.
Louvado sejas, meu Senhor,
Pelos que perdoam por teu amor,
E suportam enfermidades e tribulações.
Bem aventurados os que sustentam a paz,
Que por ti, Altíssimo, serão coroados.
Louvado sejas, meu Senhor,
Por nossa irmã a Morte corporal,
Da qual homem algum pode escapar.
Ai dos que morrerem em pecado mortal!
Felizes os que ela achar
Conformes á tua santíssima vontade,
Porque a morte segunda não lhes fará mal!
Louvai e bendizei a meu Senhor,
E dai-lhe graças,
E servi-o com grande humildade

Matéria e fotos: Rodrigo Augusto