quarta-feira, 21 de junho de 2017

Monsenhor Juvenal recebe homenagem e gratidão do povo de Nazareno

Quiséramos nós, conseguirmos traduzir em palavras ou atos algo tão sublime como a gratidão. Por vezes ao agradecermos alguém corremos o risco de cair no clichê de textos cultos e moldados, mas como canta uma canção o que trazemos aqui são versos simples, feitos de coração que contém palavras repetidas, porém ditas, pois sempre entre palavras não ditas algumas são de amor. Aqui estamos para não só dizer ‘assim seja’ ou ‘graças a Deus’, mas para o heroico ato de agradecer quem agiu de forma divina; é hora de dizermos: ‘Monsenhor Juvenal, muito obrigado’.
Se percebermos liturgicamente, o senhor foi quem nos conduziu nesses momentos ricos do fim do Tempo Pascal, nos deu entendimento à poesia que faz do Espírito Santo uma forma invisível, mas sensível, que nos transforma em Templos da Santíssima Trindade e compreendermos que sem o Pão do céu nada o homem pode.
Humanamente o senhor nos surpreendeu. Seus passos lentos e firmes na busca do cumprimento do dever; esse, não por profissão, mas por vocação. O jeito peculiar de falar, de abençoar, o cuidado com as criancinhas, com o papai, com a mamãe e com os enfermos, as palavras de conforto, a maestria em celebrar, a ardor em anunciar o reino, a persistência, a luta, a singeleza em preparar o altar, comungar e purificar ultrapassaram as celebrações e emocionaram até àqueles que estão todos os dias na labuta dos bastidores. O olhar em direção ao Santíssimo e o caminhar naquela quinta-feira de Corpus Christi, isso guardaremos eternamente não sem ter por que, nem por razão ou coisa outra qualquer, guardaremos porque o senhor nos encantou demais.

Por isso, erguemos nossos louvores ao bom Deus, a Virgem Maria e à sua fiel companheira, a bem aventurada Nhá Chica e pedimos para que eles continuem olhando para o senhor para que juntos ainda tenhamos muitas histórias para contar e palavras para dizer o quanto é amável a companhia do Monsenhor. Volte sempre e nos avise, pois se vierdes às quatro, desde às três já estaremos felizes.
Continue esse homem, esse grande homem de corpo terreno e alma celeste.
Rodrigo Augusto

sábado, 17 de junho de 2017

Ainda sobre Corpo e Sangue

A Igreja é Morada de Deus quando em nosso corpo habita a Sua Misericórdia e em nosso sangue circula o Seu Amor Incondicional. Sem a Fé que nos comunica com o Senhor, a Eucaristia é simplesmente mais um sacramento do catolicismo. Muito além disso, é preciso fazer do sacramento uma chance concedida pelo Pai para que a vida de todos os cristãos possa ser o espaço perfeito de comunhão fraterna.
O sacramento deve aproximar do sagrado. Assim como todo ato revolucionário, a conversão não se faz sem a entrega decidida de corpo e sangue, e essa lição Jesus revelou na Paixão da Morte de Cruz e na Alegria da Ressurreição. Se temos um corpo e um sangue limitados pela finitude de uma vida com início, meio e fim, é correto afirmar também que há o CORPO e o SANGUE para além do verbo e da carne. 
O Corpo e Sangue do Pastor que se instala nas ovelhas por meio da Eucaristia. Elas nunca estarão perdidas. Nós nunca estaremos perdidos! Mesmo que não existam máquinas do tempo, o sustento da Eucaristia pela Hóstia Sagrada transforma nossa família e nossa comunidade em Galileias e Jerusaléns do ano de 2017. Eucaristia é quando Cristo se materializa no irmão, de tal modo que ele não pode ser forte ou ficar de pé sem recorrer a esse Alimento Divino. A Ciência insistirá na importância de proteínas, carboidratos e vitaminas para uma vida saudável. No entanto, e isso fica como certeza inquestionável, não pode haver uma vida sadia sem o Amor de Deus, aquele que nutre eternamente. A Eucaristia é o cordão umbilical que nos une a Deus entre o Céu e a Terra. E este elo jamais se rompe. Por isso, todo cristão vive para chegar o momento em que o cordão é suspenso e ele pode, enfim, contemplar o Senhor face a face.
Equipe Pascom

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Eis que chega a festa da Rosa Mimosa, Mãe do Eterno Amor

Despertou 16 de junho, dia de celebração a perpetuação de lembranças e tradições que movem uma cidade. Lembranças que perpassam gerações e fazem com que as tradições sejam revividas todos os anos de forma pura e significantemente tocante.
Maria será festejada pelos fiéis nos próximos 10 dias e a memória de uma Vitória dos cristãos sobre a perseguição e morte vinda do mar estará acompanhando todos que adentrarem a Igreja dedicada a Nossa Senhora do Rosário.
As festividades de Junho na cidade são ricas em detalhes minuciosos que fazem a diferença e embelezam ainda mais a fé dos homens naquela que os recebeu como filhos e os guardará até que o ciclo se termine.
A novena rezada aos pés da imagem da Virgem Maria, contempla a poderosa intercessão daquela que acordada vela o sono de seus filhos fragilizados, como uma verdadeira mãe, a Senhora do Rosário junta seus dedos em perce por todos os seus que a aplaudem e louvam por ser quem és.
A recitação do Santo terço faz com que a história da salvação seja contemplada e meditada por aqueles que aqui caminham rumo a triunfal entrada no Reino celeste pela porta estreita. Os mistérios da luz, dos gozos, das glórias e das dores são louvados, pois fazem com que seus fiéis recitadores compreendam que suas contas são muito mais  palavras repetidas, mas gotículas de amor oriundas do coração materno de Maria e rosas, daquelas mais formosas, que podem a Ela serem ofertadas.
Não só a Virgem Maria, mas grandes Santos são recordados nessa festa de devoção popular, São Benedito e Santa Efigênia, santos negros que reforçam a história dessa cidade que traz o peculiar feito de que os homens negros ergueram a Igreja do Rosário para ter um santo lugar para adorar o Senhor. São João Batista, o percursor, dono do dia 24 desse mês onde sua natividade é celebrada por toda igreja.
E nada como ouvir de novo o Hino de Nossa Senhora, tão ímpar, tão forte, tão eloquente que nunca ninguém cantará tão intensamente quanto a saudosa Nenzinha, lembrança eterna da Festa de Nossa Senhora.
Às celebrações têm início às 18h30 com a Recitação do Santo terço e atendimento e confissões e às 19h a Eucaristia será celebrada e finalizada com a novena em honra a Virgem Maria, Senhora do Rosário.
Que 16 de Junho não passe despercebido nesse ano. Salve Maria!
Matéria-Rodrigo Augusto
Fotos-Arquivos da Pascom

Solenidade de Corpus Chriti

O Verbo se fez carne e habitou entre nós
Com alegria os fieis da Paróquia Nossa Senhora de Nazaré iniciou a quinta-feira,15, data que marcou a comemoração de Corpus Christi com a Celebração da Santa Missa, realizada no Santuário de Nossa Senhora de Nazaré, as 08:00.
O  Sacramento da Eucaristia se faz presente na vida de todos aqueles que buscam a paz interior através  deste alimento, no desejo de serem pessoas melhores, mais humanas, vivendo em unidade como Cristo  ensinou. As  palavras de Monsenhor Juvenal foram de incentivo a confiar no Cristo Pão: “ Hoje é dia para que todos reflitam a necessidade de receber  Corpo e Sangue de Jesus, um alimento espiritual que nos da forças para vivermos em unidade, ao receber a Eucaristia Jesus se humaniza em nós, nos fortificando e encorajando e aumentando nossa Fé”.
Muitos fieis saíram cedo de suas casas para preparação dos tapetes onde a procissão iria passar, desenhos diversos, com imagens de Santos, terços, momento de grande alegria e descontração.  As 15:00 foi Celebrada a Santa Missa e logo após a tão esperada Procissão com a Sagrada Eucaristia. A procissão do Cristo se tornou momento de adoração, muitos agradecendo e pedindo as bênçãos do Altíssimo, expressão de fé na presença real de Cristo na Hóstia Consagrada, durante o percurso da procissão houve 3 (três) paradas  realizando as Bençãos Litúrgicas.

“Senhor só Tu tens palavra de vida Eterna”, que a Eucaristia se seja o alimento de União, fraternidade e igualdade entre todos os povos, vivendo em unidade como Cristo ensinou.
Matéria: Marliere Santos
Fotos- Helder Ramos

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Enfermos preparam a casa com alegria para receber Jesus Eucarístico

A Igreja celebra nesta quinta-feira, 15, o Mistério da Eucaristia através da festa de Corpus Christi. Jesus com seu gesto simples se faz presente em um pedaço de Pão e Vinho, deixando a grande mensagem que ele está presente em todos momentos da vida humana. Alimento que dá forças para todos serem anunciadores da Boa Nova. Ao receber a Eucaristia recorda-se de toda vida de Jesus, de sua linda peregrinação neste mundo.

A Eucaristia se passa como alimento para a alma e, pela fé, estimula a esperança do cristão. O senhor Francisco, por exemplo, vê de perto a preparação de muitos enfermos para receber a Santa Eucaristia nas casas. A ação é realizada pelos Ministros Extraordinários da Comunhão Eucarística para aqueles que são impossibilitados de participarem da missa de forma presencial. “As pessoas estão sempre à espera. Se banham, colocam roupas novas, montam altares e preparam todo o ambiente. Toalhas brancas e flores nunca faltam. Tem uma casa que a moradora fala que as flores são para Jesus”, explica Francisco Alves que atua na Paróquia de Nazareno.
O trajeto de Francisco, e dos demais ministros, é realizado com frequência na comunidade. Junto com a fé, eles encontram no rosto dos visitados um farto sorriso. O motivo? Por receber Jesus Eucarístico. Pão que desceu do Céu e se faz morada nos corações. “Estar em contato com os enfermos, levando o Corpo de Deus, é algo especial. É levar Cristo, a palavra e a atenção”, destaca.
A programação para o dia de amanhã na paróquia consta de missa no Santuário às 8h e procissão com o Santíssimo Sacramento às 15h. Todos estão convidados a prestar publicamente sua homenagem Àquele nos ama tão ternamente.
Matéria- Marliere SantosPublicado em:http://diocesedesaojoaodelrei.com.br/enfermos-preparam-a-casa-com-alegria-para-receber-jesus-eucaristico/   

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Com o Pai, no Filho, pelo Espírito Santo

Solenidades em honra à Santíssima Trindade na Paróquia Santuário Nossa Senhora de Nazaré 
No último domingo, 11 de junho de 2017, a Paróquia Santuário Nossa Senhora de Nazaré, em comunhão com toda a Igreja, celebrou o dia em honra à Santíssima Trindade. Dia este em que se é destacado o mistério de um Deus que ao mesmo tempo se faz em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo.
As celebrações eucarísticas ocorreram às 8, 10h30 e às 19 horas, no Santuário. Nelas, a comunidade paroquial pôde mergulhar ainda mais no reconhecimento do amor divino, o qual é completamente despretensioso e fortificador.

O convite feito nas celebrações é que nos aprofundemos e reconheçamos o mistério de Deus revelado por Jesus através da sua ação libertadora. Além disso, a proposta é de um entendimento maior acerca de que cada uma das três pessoas da Santíssima Trindade tem a sua própria atuação, mas que ao mesmo tempo essa atuação acontece em unidade.

Na Trindade Divina está o amor- misericordioso, o amor-presença e o amor-comunhão. Celebrar a Santíssima Trindade é reafirmar a certeza do amor de Deus em nós, por nós e para nós. Amor este que é fonte de vida e de comunhão eterna.
Equipe de Pastoral da Comunicação

domingo, 11 de junho de 2017

Semana Nacional do Meio Ambiente

Unindo forças em favor da vida
O Dia Mundial do Meio Ambiente é comemorado em 5  de junho. A data foi recomendada pela Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente, realizada em 1972, em Estocolmo, na Suécia. E o governo Brasileiro, por meio do Decreto Federal 86.028, de 27 de maio de 1981, estabeleceu que nesse período, em todo território se promovesse a Semana Nacional do Meio Ambiente. A Pastoral Ecológica juntamente com a Secretaria do Meio Ambiente de Nazareno abraçaram a causa e realizaram várias atividades educativas voltadas para o cuidado com a natureza.

Nesse sentido realizaram-se palestras, apresentações teatral e musical, exposição de artesanato com lixo eletrônico e distribuição de mudas nativas. Os eventos contaram com a participação dos alunos da Escola Municipal e a população em geral. Segundo o coordenador da pastoral ecológica, Raimundo Beraldo, é preciso um trabalho de conscientização envolvendo crianças, jovens e adultos em prol de mudança de conceitos e atitudes. Beraldo aposta na preservação como forma de garantir o amanhã e convida: “Faça o certo, comece em casa, mobilize-se em favor de nossa casa comum”.
A Pastoral Ecológica concluiu a semana fazendo a primeira remeça de sabão artesanal com o óleo recolhido pela comunidade.
Colaboração e fotos- Pastoral Ecológica
    

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Solenidade de Pentecostes


“Creio no Espírito Santo, Senhor que dá a vida”
                Mais uma vez na história da igreja foi recordado o dia do cumprimento da promessa que Jesus fez a seus discípulos de que eles não ficariam órfãos após sua partida para o alto. O domingo, 04 de junho marcou liturgicamente a Solenidade de Pentecostes.
                Monsenhor Juvenal presidiu as celebrações do fim de semana que aconteceram todas na Igreja de Nossa Senhora do Rosário, lugar que se transformou no cenáculo onde estavam reunidos os apóstolos e a Mãe de Jesus.
                Do céu um raio de luz foi enviado e encheu os apóstolos do Espírito Santo e proclamaram as maravilhas de Deus em diversas línguas, de modo que todos foram capazes de entender as graças anunciadas. Tal episódio e descrito de forma sublime por São Lucas no segundo capítulo do livro sagrado dos Atos dos Apóstolos.

                O Espírito Santo está presente no mundo desde antes da criação como bem enfatiza o livro dos Gênesis: “o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas” (Gn 1,2b). Foi esse mesmo Espírito que inspirou sábados homens que escreveram sob a sua luz as Sagradas Escrituras que narram a história de Jesus, alfa e ômega.
                Concebido no seio virginal de Maria por ação do Espírito divino, Jesus soprou sobre seus discípulos que o proclamaram como Senhor de suas vidas. Sábias foram as palavras do Monsenhor sobre esse fato.
“Sem o Espírito Santo, nós não somos capazes nem de pronunciar uma jaculatória”
                Em duas reflexões, Monsenhor também exaltou a importância dos membros da Igreja que tem Cristo como cabeça. Cada um desempenha uma função, assim como os membros do corpo, mas todos só agem pela ação do Espírito Santo, o mesmo Espírito que capacita os diversos ministros da Igreja: os ordenados, os da Palavra, da Comunhão Eucarística, da Catequese, da Comunicação, da Música e tantos outros.
                A terceira pessoa da Santíssima Trindade também é Aquela que é clamada na oração Eucarística para que, através do seu poder, aconteça a transubstanciação e todos possam ser alimentados pelo corpo e sangue de Jesus.

                A Santa Igreja comemora na solenidade de Pentecostes mais um ano de vida, uma vez que foi fundada na primeira pregação de São Pedro após a descida do Espírito Santo. A luz bendita, chama que crepita é a que fortalece o homem em meio às aflições terrenas e cumula todos os viventes de sete dons.

                Caminhando sob a luz do Divino, todos seguem firme em buscada recompensa aquele que é forte, uma santa morte, a alegria eterna.

Matéria e fotos- Rodrigo Augusto

Pastoral Ecológica comemora dia do Meio Ambiente juntamente com as crianças da catequese

        Nesse último sábado, 03 de junho, aconteceu, ás 09h, no salão paroquial do Rosário, uma manhã de formação e descontração para as crianças da catequese.  O encontro foi promovido pelos membros da Pastoral Ecológica e teve como tema o Dia do Meio Ambiente que é comemorado dia 05 de junho, O espaço foi preparado com cartazes que faziam reflexões ao Meio Ambiente e com lixeiras feitas de materiais recicláveis.
A formação iniciou-se com um momento de oração, que foi meditada em torno do padroeiro da pastoral, São Francisco, e da oração de sua autoria, o Cântico das Criaturas. A manhã foi marcada por duas palestras, a primeira foi feita pela agente ambiental, Joyce Nascimento, que trabalhou com as crianças a respeito do lixo e sobre a importância da coleta seletiva para a cidade. A segunda feita pelo diretor municipal da Copasa, Genner Moura, teve como tema a água, sua forma de tratamento e maneiras para economizá-la.

 Após as palestras as crianças cantaram a música Planeta Água, e foi servido um saboroso lanche. Para finalizar o encontro, as crianças participaram de uma ação educativa, todos recolheram ao redor da praça os resíduos recicláveis descartados de forma indevida e que prejudica o Meio Ambiente.
Matéria e Fotos: João Vitor de Abreu

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Celebração em honra a Santa Rita de Cássia

Ó Santa Rita, eu ponho em vós toda a minha confiança!
O mês de Maio é especialmente dedicado a Maria, Mãe de Jesus, nossa Mãe. É mês de rezarmos com carinho por nossas mães e por todas as mães do mundo, as que aqui estão e aquelas que daqui já se foram. É mês de celebrarmos a Poderosa e Gloriosa Santa Rita de Cássia, mãe de amor heroico e que leva o título da Santa dos Casos impossíveis e desesperados.
Santa Rita  desde criança demonstrava seu desejo de se consagrar à vida religiosa, mas, por obediência aos pais, casou-se aos 12 anos. Teve uma vida conjugal difícil devido ao caráter violento do marido. Com seu empenho e orações, conseguiu convertê-lo.
Tiveram dois filhos, e buscou educá-los na fé e no amor. Porém, eles foram influenciados pelo pai, que antes de se casar se apresentava com uma boa índole, mas depois se mostrou fanfarrão, traidor, entregue aos vícios. E seus filhos o acompanharam.
Rita então, chorava, orava, intercedia e sempre dava bom exemplo a eles. E passou por um grande sofrimento ao ter o marido assassinado e ao descobrir depois que os dois filhos pensavam em vingar a morte do pai. Com um amor heroico por suas almas, ela suplicou a Deus que os levasse antes que cometesse esse grave pecado. Pouco tempo mais tarde, os dois rapazes morreram depois de preparar-se para o encontro com Deus.
Sem o marido e filhos, Santa Rita entregou-se à oração, penitência e obras de caridade e tentou ser admitida no Convento Agostiniano em Cássia, fato que foi recusado no início. No entanto, ela não desistiu e manteve-se em oração, pedindo a intercessão de seus três santos patronos – São João Batista, Santo Agostinho e São Nicolas de Tolentino – e milagrosamente foi aceita no convento.
Seu refúgio era Jesus Cristo. A santa de hoje viveu os impossíveis de sua vida se refugiando no Senhor. Rita quis ser religiosa. Já era uma esposa santa, tornou-se uma viúva santa e depois uma religiosa exemplar. Ela recebeu um estigma na testa, que a fez sofrer muito devido à humilhação que sentia, pois cheirava mal e incomodava os outros. Por isso teve que viver resguardada. Ela se devotou especialmente a cuidar de irmãs doentes e a aconselhar pecadores.São-lhe atribuídos tantos e tão extraordinários milagres que é tida como "advogada das causas perdidas e a santa do impossível". É também protetora absoluta das mães e esposas que sofrem pelos maus-tratos dos maridos.

Por essas e tantas razões, os devotos de Santa Rita de Cássia, todos os anos, planejam uma festa maravilhosa na Paróquia/Santuário Nossa Senhora de Nazaré. A procissão que antecedeu a celebração neste último domingo (21) foi marcada, mais uma vez, pela parada em frente à residência da família provedora da festa, onde se rezou uma dezena do Santo terço. A manifestação de fé ali foi vivida na pele e no espírito.
Logo após, teve inicio a santa missa, onde fiéis fervorosos puderam, junto com o perfume das rosas que simbolizam o milagre de Santa Rita, celebrar o 6º Domingo da Páscoa, o qual a liturgia simbolizava muito bem a vida de Rita de Jesus. Ela não desistiu do seu projeto e missão de servir ao Pai, mesmo passando por tantas turbulências durante toda sua vida.
Que sejamos assim como Santa Rita,testemunhos do amor de Deus. Independente de qual seja o nosso problema, nossos sonhos, nossas dores entreguemos nas mãos de Deus e supliquemos a intercessão de Santa Rita, pois para quem os ama, nada nunca será impossível.

Ao final da santa celebração, a bênção aos pés da imagem fez refletir a verdadeira fé estampada, não somente no rosto, mas no coração de cada fiel ali presente.
Santa Rita, advogada dos impossíveis, rogai por nós!
Matéria:Cássia Pereira
Fotos: Marliere Santos